sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Produtores de tilápia poderão em breve contar com a tecnologia da rastreabilidade

Acompanhe na reportagem de Fabiano Morais:

  video

Em Apodi, produtores de tilápia terão, em breve, toda a produção rastreada. isso vai permitir que o consumidor saiba da origem do peixe, além dos criadores poderem expandir os negócios

Na barragem de Santa Cruz 11 famílias trabalham diretamente na criação de tilápia. Eles fazem parte da associação dos aquicultores do Apodi e produzem, em média, 5 toneladas do peixe, por mês.

Visando melhorar a produção, no início desse mês, uma novidade foi implantada: o rastreamento, desenvolvido por este empresário e que procurou a associação para implantar a novidade

- Dentro desse sistema vai ser inserido as informações do produtor no pescado, tanto para a criação de peixes como camarão e molusco de vale, e de posse desse dados ele vai acessar nosso sistema na internet e vai inserir os dados de processo produtivo – explica Guilherme Neto, empresário.

Ainda segundo o criador do software, esta é primeira experiência adotada no país

- O nosso é 100% na internet e não existe similaridade hoje no Brasil- afirma Guilherme Neto.

Inicialmente 6 pequenos tanques estão servindo de laboratório. 50 mil alevinos serão acompanhando até o momento de chegar ao consumidor. A observação será de cinco a sete meses.

A rastreabilidade da tilápia vai permitir que o consumidor saiba a procedência do animal, o que, na prática, deve garantir a qualidade do peixe consumido. Para os produtores vai permitir, também, a possibilidade de expandir novos mercados, como o de exportação.

Os produtores estão otimistas com a utilização da tecnologia no negócio

- A gente vai lidar diretamente com o consumidor, ele vai ter como observar nosso processo produtivo, desde que a gente compra o alevino, que hoje está sendo comprado lá no Ceará, desde o dia do nascimento deles até o dia do abate, ele vão ter todo o acompanhamento - analisa Geraldo Vicente, gestor de produção da associação.

O projeto é coordenado pela incubadora da Ufersa, em parceria com o programa Sebrae-tec. 18 empresas de agronegócio, entre elas a associação recebem a consultoria. Para o coordenador da empresa incubadora o rastreamento, em termos de negócio, tem um grande significado

- A incubadora vem trabalhando com relação a questão da qualidade de suas empresas e com relação a colocar os produtos das empresas no supermercados no patamar que dê destaque e possa ser comercializado - explica Giorgio Mendes, coordenador da Iagram. 

FONTE: http://in360.globo.com/rn/noticias.php?id=9363

Nenhum comentário: